terça-feira, 13 de julho de 2010

Mudaram o tom ou eu é que entendi mal?


Há dias que os noticiários de todas as emissoras mostram o caso do assassinato de Elisa Samúdio, um crime chocante, que abalou o Brasil.
No começo, o goleiro Bruno era suspeito pelo desaparecimento de sua ex-namorada. Com o depoimento de um menor (primo de Bruno) houve a reviravolta no caso que levou à prisão várias pessoas que estariam envolvidas no crime.
A história de Bruno foi contada, com ênfase no abandono. Na infância, foi abandonado pelos pais e criado pela avó. Já adulto, reencontra a mãe e corta relações porque ela, doente, queria que ele pagasse um plano de saúde para ela.
Mas a partir de domingo tenho visto em todos os canais uma mudança de postura:
Fantástico:
De acordo com um ex-traficante/ex-viciado Elisa teria morrido não pelo DNA, mas sim por saber do envolvimento dos amigos de Bruno com tráfico de drogas. A morte dela interessaria não a Bruno, mas a outras pessoas que tinham medo que ela denunciasse.
Foi apresentado um histórico de Elisa e de Bruno:
Elisa: A ex-amante do goleiro Bruno (porque amante é mais mal-vista que namorada né?) foi abandonada pela mãe, criada por um pai que responde por acusação de estupro, se mudado para SP onde teria feito dois filmes pornôs e seria uma garota de programa que teria saído com vários jogadores de futebol.
Bruno: O menino pobre, de bairro violento, colecionou amigos de infância (os mesmos que estão presos com ele), se casou com a namorada da adolescência, fez sucesso no Atlético, foi para o Corinthians e depois para o Flamengo. Bruno teria começado no futebol com o sonho de reencontrar a mãe, que aconteceu em 2003, e rompido com a mãe quando descobriu que ela vivia com outra mulher. A mãe também teria respondido processo por tentativa de homicídio, mas foi absolvida. Mesmo após a separação continuou a dar todo conforto à ex-mulher e às filhas. Definido por um amigo como “realizador de sonhos”, patrocinava o time local, onde começou a jogar. De acordo com o repórter, o ídolo da torcida do Flamengo seria um garoto carente, que tentou recriar uma família.
Afirmaram que era preciso separar o homem do profissional por diversas vezes.
Para encerrar a reportagem, um recado da avó: “Viu, meu filho, quando eu te falava dos seus falsos amigos, só interessados no seu dinheiro? Viu pra onde é que eles foram te levar?”
Record:
O irmão de Bruno, que é gari no Piauí (gari com irmão milionário...!), acredita que ele seja inocente. Diz que morou 2 anos com o irmão mas a convivência não deu certo por causa da cunhada. (Mas o irmão é ótimo.)
O padrasto, casado com a mãe de Bruno há 15 anos (mas em 2003 ela não vivia com uma mulher?), esteve pessoalmente com ele pela última vez no ano passado, quando passaram 20 dias na casa de Bruno, no Rio (ele não tinha rompido com a mãe?) e acredita que ele não tenha índole para o crime.
O tio do menor, que denunciou tudo numa rádio, diz o que teria acontecido quando Bruno chegou ao sítio: Ele se assustou e disse: “Vocês fizeram a merda, vocês resolvem, eu não quero nem saber.”
Macarrão é investigado sob acusação de ser chefe de tráfico de drogas (o tal tráfico que a Elisa podia denunciar...).
Por fim, mostraram um jogador da Portuguesa que no passado cumpriu pena por latrocínio.
SBT:
Palavras dos jornalistas: “A polícia fala demais e tem prova de menos.”
Palavra de um consultor de segurança do SBT: “O que se tem é o que se pode chamar de ‘a prostituta das provas’, que é a prova testemunhal”. Não foi encontrado corpo, nem qualquer prova concreta, “na realidade, o caso de fato é de desaparecimento”.
Aí eu fico pensando:
Porque estão querendo aliviar o lado do Bruno? Quais interesses haveriam por trás disso?
Financeiro, já que ele como goleiro valia milhões?
Da CBF, numa possível substituição ao Júlio César para a Copa de 2014?
Não vou me surpreender nem um pouco se no final o Bruno sair inocente, já que sumir com a Elisa foi uma decisão da qual ele não participou e pra provar suas boas intenções ele declarar que quer a guarda do Bruninho. Melhor, ele deve ter descoberto que o Macarrão havia seqüestrado a Elisa com a intenção de matá-la e chegou na última hora como herói salvador do filho. E sumiu com o menino para que nada de mal acontecesse até que ele, pai amoroso, conseguisse contornar a situação e trazê-lo para o convívio da família em segurança. Desse jeito esse homem é quase um santo! Peloamordedeus!

3 comentários:

Fala Mãe! disse...

Lamentável né Sandra? Impressionante como a tv vai modificando aos poucos completamente uma situação, tb nao duvido que ele saia impude, lamentável...\beijo

Ví por aí... disse...

Olá queridíssima Sandra...
O que dizer disso tudo???
Já dizia o grande Raulzito:
"Eu não preciso ler jornais,
mentir sozinho eu sou capaz"

Liberdade de imprensa ou manipulação da imprensa???!!!

PelamordeDeus!!!rs

Bjkas

Lu Pietra disse...

Olá...Sandra...eu também não to entendendo mais nada...quanto mais noticias assisto menos entendo...cada um fala uma coisa diferente..e cada dia mais aparecem mulheres mortas...de forma cruel...hoje tem outra morta la no Parana..e a impunidade a começar pelos nossos governantes continua a solta para dar o exemplo negativo para toda uma nação...como diz a musica..QUE PAÍS É ESSE?

DESCULPE O DESABAFO...